Off-roader paulistano recria um clássico Jeep, equipado com mecânica robusta e suspensão pronta para qualquer situação.


Fotos: Spina 4×4/Divulgação

Por vezes, projetos notáveis nascem de momentos de pura descontração. Paolo Spina, dono da oficina Spina4x4, afirmou que o projeto desse Jeep surgiu em uma conversa de churrasco.

Ele estava sem um 4×4 de trilha desde que havia desmontado o seu último Jeep. Na ocasião, final de julho de 2017, Spina comentou com um amigo sobre montar um Jeep com as peças que ele tinha na oficina, para que pudessem fazer a “Trilha do Cachorro Loko”, um conhecido e pesado roteiro local.

Lá vem o Jeep de Paolo Spina, rasgando o barro, sem engolir água

A trilha aconteceria em agosto, então Spina teria apenas 20 dias para montar o Jeep. Tomando o projeto como um desafio pessoal, Spina ligou para a empresa Fiber 4×4 e solicitou uma carroceria, que chegou em uma semana.

Paolo Spina, dono da oficina Spina4x4, afirmou que o projeto desse Jeep surgiu em uma conversa de churrasco

Enquanto isso, a mecânica ia sendo montada, usando inicialmente um motor GM de seis cilindros. Com o motor já no lugar, apareceu um cliente que quis de qualquer jeito comprar o propulsor, ou seja, além do prazo curto Paolo e sua equipe tiveram que fazer o trabalho duas vezes, só que na segunda vez o motor escolhido foi um diesel MWM Sprint.

Inicialmente os eixos utilizados seriam os de um caminhão REO (imagine o tamanho!), mas quando foram instalados em baixo do Jeep, Spina resolveu utilizar eixos de uma picape Toyota Hillux, para gerar um conjunto mais compacto.

Rodas, pneus, eixos, barras de direção e suspensão: tudo nesse Jeep foi superdimensionado

A ideia inicial de usar todas as peças que tinha na oficina não aconteceu como o previsto, ou seja, nada de novo no front.

Note as barras de articulação da supensão dianteira

Para a transmissão Spina escolheu um câmbio Clark 2405 da picape GM S10 4×2, instalou um eixo entalhado e a tampa traseira de um câmbio Ford, proveniente de uma Ranger 4×4. A esse conjunto foi acoplado uma caixa de transferência (reduzida) sem uso, de um jipe Troller.

PARA CALÇAR O 4X4, FORAM USADOS PNEUS MUD AGRESSIVOS DE 37 POLEGADAS

Os eixos cardã também foram reaproveitados, sendo o dianteiro o de um Troller, com junta CV para a dianteira e um dianteiro da picape Dodge Ram, também com junta CV, para a traseira.

Note o desenho dos cravos do pneu e a maneira como o amortecedor OffShox foi instalado

O tempo estava passando as dificuldades foram ficando cada vez maiores, como por exemplo, o fato dos eixos da Hillux terem saída do cardã para a direita, enquanto o câmbio apresentava a saída para a esquerda. Para resolver isso, o eixo foi totalmente desmontado, teve a tampa cortada e foi simplesmente virado de ponta cabeça. Já que estava tudo desmontado, Spina resolveu colocar RCV, bloqueios Yukon e sistema de high steer trail gear.

Com a mecânica instalada, chegou a hora de acelerar o Juliano da Master Cooler, que fez um radiador sobre medida em tempo recorde.

O motor é turbodiesel MWM 2.8 Sprint, 140 cavalos a 3.500 rpm, com torque de 34,7 kgfm/1.800-2.400 rpm

Para dar um charme extra ao Jeep, Spina decidiu colocar o quadro de parabrisas de um modelo 42. “Contamos com a ajuda do Ricardo da Iron Parts. Só ele sabe o que teve de fazer para me enviar um quadro a tempo”, lembrou Paolo.

O forte desse Jeep é a suspensão projetada para oferecer o máximo rendimento. Amortecedores OffShox, no detalhe

Para calçar o 4×4, foram usados um jogo de pneus de 37”, recapados pela marca Mamute. Na parte da segurança, Paolo usou bancos e cintos da San Marino.

Os estribos e a gaiola com fixação dos bancos acabaram de ser instalados pouco antes de o 4×4 ir para a trilha.

Na parte traseira da gaiola tipo santo antônio, foram fixados o macaco hi-lift e a prancha de desatolamento

A parte elétrica, mínima, não deu muito trabalho graças ao uso do motor diesel. “Resolvemos simplificar o restante, o Jeep não tem seta, luz de freio ou limpador de para-brisa. E o farol é apenas um led auxiliar embutido na grade frontal; fizemos tudo em meio dia!”, lembrou com bom humor.

Note a incrível capacidade de troção dessa máquina!

E em 20 dias o carro ficou pronto e foi para trilha, fazendo todo o trajeto sem problema algum. E assim se manteve por um ano.

Foi quando o Luiz Haas, diretor da Off Limits/OffShox ligou para o Spina. O Bruno, membro do Jeep Clube Estrada Real (São Joao Del Rey, MG) o havia convidado para um evento no final do ano passado e como ele sabia que Spina também iria, fez o convite de levar um 4×4 juntos.

NASCIA ALI A IDEIA DE MONTAR UM KIT DE SUSPENSÃO PARA JEEP, UTILIZANDO A SUSPENSÃO AIR SHOX

Nascia ali a ideia de montar um kit de suspensão para Jeep, utilizando a suspensão Air Shox. Dessa vez Paolo tinha 15 dias para montar um sistema four link no jipinho.

Como os amortecedores tinham de ser fabricados sobre medida, foi utilizado um tubo fixo para projetar a suspensão. Os amortecedores chegaram um dia antes do carro seguir para Minas Gerais.

Curso de amortecedores e suspensão dimensionados para um 4×4 de uso extremo e agressivo

O Jeep subiu no guincho sem realizar testes e foi direto para a trilha. Segundo Spina, os amortecedores e a nova suspensão OffShox transformaram o Jeep. Ficou tão bom que Spina já está instalando o terceiro kit, entre eles uma picape Ranger de Bom Jesus de Pirapora e um Jeep CJ5 de São Joao del Rey, comprovando o excelente resultado do trabalho.

“Os amortecedores e a nova suspensão OffShox transformaram o Jeep” – Paolo Spina

“Esse ano a Spina 4×4 completa 13 anos, começamos em um barracão no canto do sítio e fomos para a cidade. Voltamos para o sítio com uma estrutura maior e preparada para cuidar dos 4×4, como eles merecem, de ponta a ponta. Aprendi a não colocar limite em meus sonhos e a ter muita fé”, finalizou Spina, que contou com a ajuda de amigos e familiares que não pode deixar de agradecer: Chereck, Pavan, Bruno, a esposa Sara, o pai Jaderson, a mãe Marcia e ao Valmir, o seu braço direto na oficina.

Adicionar legenda

Se você ficou interessado na suspensão, veja mais informações em: offlimits.com.br/levanta-4×4-ate-14polegadas/
ou com Spina4x4 Automotores Comércio e Serviços LTDA.
Rua Horacio Soares de Oliveira, Travessa 875 no  347 – Chacara Malota – Jundiaí -SP – Cep 13.211-534, 11-4817-3315, 11-99954-2157

Ficha Técnica do Jeep Willys Overland CJ3A 1951
Motor MWM 2.8 Sprint, 140 cavalos a 3.500 rpm, torque de 34,7 kgfm/1.800-2.400 rpm
Câmbio Eaton 2405 de cinco marchas
Caixa transferência Troller Pantanal
Eixos Hilux
Semi eixo RCV
Bloqueio Yukon
High steer da trail gear
Caixa de direção GM S10
Terminais direção MB 608
Embreagem hidráulica
Pneu 37″ recapado “super insano”
Rodas 17″ com Bead Lock
Radiador Master Cooler
Bancos San Marino de fibra
Cinto 4 pontas
Gaiola
Tanque 42 litros alumínio
Guincho 13.000 libras
Junta CV nos 2 cardas
Volante engate rápido
Quadro vidro escamoteável 1942
Suspensão Radius ARM
Tipo four link
Dianteira eh Radius ARM e a traseira four link
Barras panhard
Sistema Air Shox 14″ offshox
Bateria 75ah Ac Delco
Chassi do Jeep Willys 49
Carroceria fibra Fiber4x4
Estribo rock slider

James Garcia
Jornalista Editor natural de São Paulo, tem se dedicado a publicações relacionadas ao universo off-road há 25 anos. Instrutor e piloto técnico, participa ativamente de expedições, viagens e treinamentos de veículos 4x4 e off-road, com as principais marcas do segmento.

Deixe um comentário

Por favor, insira seu comentário
Insira seu nome aqui